Como montar uma carteira de investimentos diversificada? Veja nossa introdução à Alocação de Ativos

Um termo que a maioria de vocês pode ter ouvido falar é “alocação de ativos“. Neste artigo, você aprenderá como montar uma carteira de investimentos diversificada e sobre a alocação de ativos. Também vamos abordar diferentes estratégias de alocação de ativos e os benefícios na gestão de portfólio.

O que é a alocação de ativos?

como montar sua carteira de investimentos

A alocação de ativos é uma das etapas mais importantes no processo de gerenciamento de portfólio.

O primeiro passo para aprender como montar uma carteira de investimentos diversificada é determinar sua taxa de retorno com base em seus objetivos financeiros, tolerância ao risco e horizonte de tempo.

O segundo passo é determinar as expectativas do mercado de capitais, bem como o retorno esperado e a volatilidade esperada de cada classe de ativos.

Existem duas categorias de classes de ativos:

  1. Classes de ativos tradicionais: incluem ações, títulos e caixa;
  2. Classes alternativas de ativos: incluem fundos de investimento, commodities, imóveis, private equity, hedge, moeda estrangeira, etc.

O terceiro passo é a alocação de ativos, em que o investidor ou seu consultor financeiro desenvolve uma estratégia de quanto dinheiro investir em cada classe de ativos para que você atinja seu objetivo de retorno em um nível de risco que seja capaz e disposto a aceitar.

A premissa de alocação de ativos é que cada classe de ativos possui diferentes características de risco e retorno. Proporcionando assim ao investidor benefícios de diversificação de risco .

Por exemplo, uma carteira com 20% de ações e 80% com títulos proporcionará menor risco e retorno do que uma carteira com 80% de ações e 20% com títulos.

Também é importante notar que o último é um portfólio mais arriscado. É mais adequado para indivíduos jovens com idade na faixa dos vinte anos que têm um horizonte temporal mais longo e podem tolerar a volatilidade do mercado de ações.

Por outro lado, o primeiro portfólio é mais adequado para indivíduos que se aproximam da aposentadoria e não podem suportar um declínio drástico em sua carteira.

Por que é importante a diversificação?

como montar uma carteira de investimentos rentável

Conforme explicado acima, o benefício mais significativo da alocação de ativos é que ela fornece diversificação. Sem falar na ajuda ao investidor para gerenciar o risco global de seu portfólio. Embora a maioria das pessoas compreenda esse conceito, eles ainda se concentrarão em quais investimentos superariam ou se os mercados de ações tendem para cima ou para baixo.

Embora estas sejam considerações importantes, muitos consultores de investimento acreditam que a alocação de ativos é a decisão mais importante para os investidores.

De acordo com o americano Sheryl Rowling, diretor da Rowling & Associates, com estratégia de alocação de ativos “você tem partes diferentes da torta, e todas essas peças reagem de forma diferente aos movimentos do mercado”. Ele acrescentou: “Algumas peças crescem enquanto outras peças diminuem, então você ainda terá o retorno médio do mercado. Mas você não terá os altos e baixos extremos “.

Quais são as diferentes estratégias de alocação de ativos?

como montar uma boa carteira de investimentos

Conforme mencionado anteriormente, os fatores mais importantes na determinação da combinação de ativos são a tolerância ao risco e horizonte de tempo de cada investidor. Um indivíduo com um horizonte de tempo mais longo e com maior tolerância ao risco deve inclinar automaticamente seu portfólio para as ações.

De acordo com um consenso tradicional, a porcentagem de alocação em ações deve ser igual a 100 menos sua idade. Então, se sua idade é de 25, então 75% da carteira deve ser alocada para ações. Ao longo dos anos, muitos especialistas expressaram sua preocupação com o uso desta regra. Uma vez que acreditam que isso resulta em carteiras extremamente conservadoras para aposentados.

Além disso, seguindo a referida regra o investidor não aventura-se em outras classes de ativos que não sejam ações e títulos. Por exemplo, durante a alta da inflação, as ações tendem a apresentar uma performance inferior.

Para combater a inflação (em termos financeiros, podemos dizer um hedge dos riscos de inflação), os investidores podem investir seu dinheiro em imóveis e comodities para obter baixa variabilidade nos retornos da carteira de investimentos.

Portanto, é importante adotar uma abordagem holística no desenvolvimento de uma estratégia de como montar uma carteira de investimentos diversificada. Abaixo estão dois tipos de estratégias de alocação de ativos:

Alocação estratégica de ativos

os 5 passos para montar uma carteira de investimentos campeã

Esta estratégia é uma abordagem disciplinada que envolve a atribuição de pesos diferentes a classes de ativos com base nos objetivos de risco e retorno de um investidor e as expectativas do mercado de capitais.

Ela se baseia na Teoria Moderna de Portfólio. Aqui pressupõe que todo investidor é racional e mostra aversão ao risco. Ou seja, desejo de retornos elevados com o menor risco possível. Todo consultor financeiro poderia personalizar essa estratégia de acordo com suas necessidades e executa-lo em seu plano financeiro. Isso também é chamado de “política de portfólio”.

O consultor financeiro também atribui um intervalo máximo para cada classe de ativos. Por exemplo, se as ações tiverem uma alocação de 50% no seu portfólio, pode-se atribuir uma faixa permissível de 46% para 54% para sua alocação de ações.

Isso significa que, a qualquer momento, a porcentagem fora desse intervalo, poderá ser reequilibrada. Se for inferior a 46%, então você comprará ações adicionais. E se for superior a 54% terá que vender ações.

Alocação tática de ativos

como montar uma carteira de investimentos

Vimos que a alocação estratégica de ativos é implementada no longo prazo. Já a alocação tática de ativos permite aos investidores fazer desvios de curto prazo com os pesos de ativos atribuídos na estratégia de alocação de ativos.

Estes desvios de curto prazo são alcançados pela implementação de uma estratégia moderadamente ativa. Por exemplo, seu consultor financeiro espera que as ações subam já que o COPOM está prestes a cortar juros. Ele/ela pode pedir para você tirar dinheiro do caixa e investir mais em ações nos próximos seis meses. No entanto, o portfólio retornará ao mix de ativos estratégicos após seis meses.

Como montar uma carteira de investimentos diversificada?

A alocação de ativos é a parte mais importante do processo de construção do portfólio. Pode ser estritamente passivo ou pode se tornar um processo muito ativo. A decisão de mix de ativos depende fortemente de algumas variáveis. Como a idade de um indivíduo, tolerância ao risco, metas, horizonte temporal e expectativas do mercado de capitais.

É importante notar que uma combinação de ativos para uma pessoa pode ser completamente inadequada para outra.

Ainda tem dúvidas? CLIQUE AQUI e saiba mais como montar uma carteira de investimentos diversificada.


Gostou do nosso artigo? Cadastre-se na nossa Newsletters ao lado e fique por dentro de todas as dicas e sacadas para alavancar seus investimentos.


CLIQUE no link abaixo e COMPARTILHE nosso conteúdo nas redes sociais! Ajude outros investidores a descobrir como montar uma carteira de investimentos diversificada!

Flavio Moura

Consultor Financeiro