Saiba como lucrar no mercado de ações com as técnicas das finanças comportamentais

Todos os investidores cometem erros que muitas vezes podem ser rastreados até um viés comportamental ou erro emocional. Sob essa ótica as finanças comportamentais trazem certas circunstâncias comprovando que esses erros são sistemáticos.

Não podemos negar que a essência do gerenciamento ativo de portfólio é encontrando ativos abaixo do seu preço justo e obter lucro com eles. Acreditamos apenas que um erro na avaliação dos preços são os erros emocionais ou comportamentais dos investidores.

Um benefício potencial desta abordagem é a sua longevidade. Os investidores têm cometido erros emocionais e comportamentais no mercado há mais de um século. Em um exemplo emblemático, veja a citação de Warren Buffett:

Tenham medo quando os outros estão gananciosos e sejam gananciosos quando outros estão com medo.

É evidente que alguns lucram com os erros de comportamento de outros investidores há muito tempo. Embora este seja um exemplo muito vago.

Em vez disso, nos esforçamos ao longo do ano passado para encontrar casos específicos em que apareceu um ativo (ação, commodity, título) a um preço baixo devido a um certo comportamento de vieses, e criou estratégias para direcionar seu recurso ao ativo subavaliado.

ESTRUTURA DA ESTRATÉGIAS DAS FINANÇAS COMPORTAMENTAIS

as finanças comportamentais e os investimentos no mercado financeiro brasileiro

1) Encontre viés comportamental

Há mercados que certamente provocam comportamentos mais tendenciosos do que outros. Muitas vezes, estes são tempos emocionalmente carregados ​​por um conjunto de novas informações ou mudança de sentimento dos investidores.

Quando o sentimento muda, muitas vezes pode desencadear distorções comportamentais. Os investidores, no geral, tendem a ser suscetíveis ao comportamento do manada. Se parecer que todos estão fazendo alguma coisa, há um forte desejo comportamental de se juntar a todos. Há muitos preconceitos por trás disso, incluindo confirmação, dissonância cognitiva e medo de perder.

Estes são alguns dos preconceitos que alimentam bolhas e mercados de urso “Bear Market”. Isso pode funcionar em ambas as direções, como os investidores que negligenciam empresas que têm menos avaliações de compra ou não estão na mídia muitas vezes.

2) Evidencie o impacto no mercado

Esta é a parte mais difícil. É o viés comportamental que faz com que um ativo esteja subavaliado e em quais condições? Uma pesquisa feita com um grande número de tipos de cenários ou situações nas últimas décadas mostrou uma forte convicção de que os preconceitos do investidor estavam afetando seu comportamento.

Durante a etapa quantitativa do desenvolvimento de estratégia, foi buscado padrões de preços baixos consistente de um ativo e como foi corrigido ao longo do tempo. A pesquisa quantitativa é importante, mas o ativo subavaliado deve ser lógico e potencialmente atribuível a um viés comportamental.

Uma vez encontrada uma divergência de preços, a abordagem quantitativa analisou mais profundamente como essa anomalia atuou em diferentes ambientes de mercado, em diferentes setores e para empresas com características diferentes.

3) Desenvolva estratégia de compra

Uma vez que um ativo subavaliado foi descoberto, nós desenvolvemos estratégias de negociação para lucrar com isso. O processo de otimização da estratégia é bastante robusto e ajuda a refinar a estratégia quanto a que tipo de mercado é o melhor ou a que tipo de empresas a estratégia tem mais sucesso.

A estratégia de compra deve incluir os níveis de stop-loss, a duração do ativo e os parâmetros de tomada de lucro. Isso ajuda a remover nossas emoções da implementação da estratégia.

Este foi um olhar resumido sobre como desenvolvemos e pesquisamos novas estratégias. Os mercados estão sempre mudando e evoluindo, o que requer uma adaptação contínua.

REAÇÃO EXCESSIVA DE GANHOS

definição de finanças comportamentais

1) Persistência do viés comportamental

Quando uma empresa relata grandes ganhos, muitas vezes pode haver uma sobrecarga de novas informações para o mercado absorver. Se os ganhos são uma grande surpresa, isso pode fazer com que as emoções se tornem elevadas, provocando um aumento do comportamento tendencioso.

Pesquisas descobriram que, sob certas condições, existe uma tendência para que os preços das ações reajam aos ganhos de forma exagerada. Se uma empresa realmente possui um ótimo futuro fluxo de caixa descontado para os próximos 10-20 anos, por que um resultado esperado terá um impacto tão grande se surpreender as expectativas do mercado?

Este é o viés da disponibilidade. Onde colocamos muito peso em informações prontamente ou recém-disponíveis. Nas finanças comportamentais esse viés é extremamente influenciador nas nossas decisões.

2) Reação excessiva nos ganhos

Foram analisadas as empresas que tiveram uma grande reação de preços, tanto para cima como para baixo, para um relatório com a pergunta: os investidores estão reagindo exageradamente à informação recém-disponível? Em alguns casos, a resposta foi sim e em alguns não.

Vamos falar hoje sobre a reação exagerada a surpresas de ganhos negativos. Descobri-se que as empresas menos voláteis, que consideramos de qualidade superior, pareciam recuperar-se da queda inicial dos preços. Isso foi mais notável em comparação com as empresas de menor qualidade (mais voláteis).

Intuitivamente, isso faz sentido. Uma empresa de qualidade superior perde ganhos e o preço da ação cai. Há mais probabilidades de serem investidores que visualizam o preço subitamente baixo como uma oportunidade de compra em uma empresa de qualidade, ajudando assim a subir o preço da ação de volta.

3) Estratégia de negociação

As ideias potenciais de compra podem ser desencadeadas para uma empresa de qualidade que não teve grandes lucros no ultimo ano e sofrem uma queda de preço. Uma análise mais aprofundada focada no momento da negociação prova a reação de preços contrária ao histórico da empresa e suas cotações.

Por fim, não esqueça de adicionar parâmetros de negociação, incluindo níveis de stop-loss. Lembre-se que realizar uma perda é apenas o começo de algo pior que possa acontecer com uma empresa.

Ainda está com duvidas? Veja aqui a Teria Moderna do Portfólio x Finanças Comportamentais.


Gostou do nosso artigo? Cadastre-se na nossa Newsletters ao lado e fique por dentro de todas as dicas e sacadas para alavancar seus investimentos.


CLIQUE no link abaixo e COMPARTILHE nosso conteúdo nas redes sociais! Ajude outros investidores a conhecer as finanças comportamentais!

Flavio Moura

Consultor Financeiro