Comece a Investir

Diferença entre Poupar e Investir!

Primeiramente se você está seguindo as nossas dicas, gastando com sabedoria para fazer o dinheiro sobrar, provavelmente já está sentindo o gosto de ver o resultado dos seus investimentos.

É sempre importante ter um dinheiro do qual você possa dispor facilmente, diante de um imprevisto. Talvez você já tenha pensado também em possíveis metas a alcançar com esse dinheiro poupado.

Se suas reservas financeiras não se multiplicam no banco como você imagina que deveriam, pode ser que você esteja poupando e não investindo.

Há uma diferença muito clara entre poupar e investir.

Poupar:

  • É guardar para o futuro, ou seja, uma reserva para lidar com coisas que você não tem planejadas na sua vida;
  • Quanto mais desorganizada sua vida financeira, mais você deve poupar ou mais sentirá falta da poupança.

Investir:

  • É fazer os planos acontecerem, ou seja, poupar somado à inteligência financeira;
  • Quando você tem planos bem organizados, investe para que esses planos aconteçam.

Analisando o Investimento

InvestimentosAssim, todo investimento é bom quando você tem consciência e conhecimento sobre ele. O que vai permitir com que imprevistos sejam trabalhados sem afetar suas reservas financeiros é sua organização pessoal.

O investimento bem aplicado é aquele que está dirigido para suas necessidades específicas. Se você tem um  projeto de construir sua aposentadoria, a casa própria, um casamento, não importa, você tem um investimento específico para alcançar o objetivo.

Nesse sentido, se ocorrer algum imprevisto você não deverá desfazer seus projetos, para isso, deverá recorrer à uma outra fonte de recurso, como a poupança ou fundo de investimento que é de fácil acesso e feita justamente para atender casos de emergência.

Uma combinação de poupança e investimento vai permitir que você tenha escolhas perenes na sua vida. Isso permite que seus planos não deixem de ser construídos quando imprevistos acontecerem. A vida financeira bem organizada permite fazer com que seus recursos reservados sejam trabalhados de maneira diferente, em vez de estar na poupança, seu dinheiro estará trabalhando para você.

Montando sua carteira de Investimentos

Seja qual for a técnica adotada, qualquer programa de investimento deve, obrigatoriamente, incluir a aplicação  de no mínimo 50%  na renda fixa. Além de fornecer um colchão para emergências, a renda fixa complementa a renda variável, frequentemente aumentando quando o retorno da renda variável diminui e vice versa.

Escolhendo meus Investimentos

Renda Variável:

Nos investimentos de renda variável, a remuneração ou o retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da aplicação, e a rentabilidade pode sofrer oscilações. Assim, o valor de resgate pode assumir valores superiores ou inferiores ao valor aplicado.

Geralmente, os investimentos em renda variável são recomendados para prazos mais longos. É sugerido para investidores com mais tolerância a risco e às variações de preço dos títulos, muito comuns nesse mercado.

As ações sãos os títulos de renda variável mais conhecidos. São emitidos por sociedades anônimas, que representam a menor fração do capital da empresa emitente. Podem ser escriturais ou representadas por cautelas ou certificados. O investidor em ações é um coproprietário da sociedade anônima da qual é acionista, participando dos seus resultados. As ações são conversíveis em dinheiro, a qualquer tempo, pela negociação em bolsas de valores ou no mercado de balcão.

Conheça as duas melhores técnicas para escolher as ações do seu portfólio de investimento: Análise Fundamentalista ou Análise Técnica.

Existem dois tipos de ação:

  • Ordinária (ON) – dá direito a voto em assembléia sobre definições da empresa.
  • Preferencial (PN) – não dá direito a voto, mas preferência no recebimento de dividendos.

As empresas dividem seus lucros com os acionistas. Algumas fazem a cada trimestre, outras semestralmente. Os dividendos dados a quem tem ONs nem sempre são iguais aos dados a quem tem PNs. Nesses casos, as preferenciais recebem valores maiores. Além disso, as PNs são vendidas e compradas com maior facilidade. O mercado de ações é considerado um investimento de risco. O risco está relacionado aos ativos em que você investe. Por exemplo: se você compra ações da Petrobras, seu risco está relacionado à Petrobras. Saiba como utilizar o Home Broker e começar a investir em ações.

Renda Fixa:

Nos investimentos de renda fixa, a forma de rendimento do título e seu prazo de resgate são conhecidos previamente. O rendimento pode ser determinado por taxa de juros prefixada ou pós-fixada, sendo afetado sobretudo pelas mudanças na política de juros do país.

Fazer um investimento de renda fixa não significa que a rentabilidade não varie, há oscilações, porém geralmente elas são pequenas.

OBS: É importante observar que, ao investir os recursos em um título de renda fixa o investidor estará emprestando a quantia investida ao emissor do título. Assim após um certo período você receberá o valor aplicado, acrescido de juros como forma de remuneração de seu empréstimo.

Na investimento de renda fixa, como em qualquer investimento, sempre existe a possibilidade de perda do capital investido, no todo ou em parte, bastando para isso que o emissor do título não cumpra a obrigação assumida.

Os investimentos de renda fixa são compostos por ativos cuja remuneração ou retorno de capital pode ser dimensionado no momento da aplicação. Esses investimentos são ideais para investidores que não têm disposição para risco.

Principais Diferenças

As diferenças entre renda fixa e renda variável estão diretamente ligadas ao processo de formação dos preços dos ativos ou títulos negociados.

Nos ativos de renda variável – como, por exemplo, as ações – os preços são formados pela interação entre ofertas e demandas propostas por um número diversificado de investidores.

Já o preço de um título de renda fixa depende da rentabilidade implícita prevista para o título. Fatores como condições de mercado e risco do emissor podem influenciar no processo de formação do preço.

Então podemos dizer que nos investimentos de renda fixa, a forma de rendimento e seu prazo de resgate são conhecidos previamente. Já nos investimentos de renda variável, a remuneração ou retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da aplicação, e a rentabilidade pode sofrer oscilações.


Para você ser o primeiro a receber novos artigos basta colocar seu e-mail no campo abaixo:


Compartilhe nosso conteúdo nas redes sociais e ajude outros investidores!