Os cinco principais eventos no calendário econômico

Os cinco principais eventos no calendário econômico

Nesta semana, os investidores voltarão sua atenção para a divulgação, na quarta-feira, da ata da reunião de política monetária do Fed de setembro buscando pistas de quando será o aumento de juros dos EUA.

Os dados de vendas de varejo dos Estados Unidos também estarão no centro das atenções, com os investidores tentando avaliar se a maior economia do mundo é forte o suficiente para suportar o aumento de custos de empréstimos obtidos antes do final do ano.

Além disso, alguns diretores do Fed falarão nesta semana, incluindo a chair Janet Yellen, enquanto os traders procuram mais pistas sobre a probabilidade de um aumento da taxa em dezembro.

Esta semana também marca o início da temporada de resultados do terceiro trimestre nos EUA

A China divulgará os dados comerciais e de inflação em meio a preocupações em curso sobre a saúde da segunda maior economia do mundo.

Na expectativa pela próxima semana, o Investing.com compilou uma lista dos cinco principais eventos do calendário econômico que deverão trazer volatilidade aos mercados.

1. Atas da reunião do FOMC

O Federal Reserve vai liberar a ata da reunião de política monetária de setembro na quarta-feira às 15h e os investidores procurarão alguma dica de quando o banco central dos EUA fará sua primeira alta na taxa de juros desde dezembro do ano passado.

O Fed deixou as taxas de juros inalteradas após sua reunião de 21 de setembro, mas deu a entender que uma alta poderia vir em dezembro, se o mercado de trabalho continuasse a melhorar. Ao mesmo tempo, o banco central dos EUA também reduziu o número de aumentos de taxa que espera para o próximo ano e em 2018.

As próximas reuniões de política monetária do Fed estão agendadas para o início de novembro e meados de dezembro. Os economistas acreditam que os diretores evitarão um aumento da taxa em novembro em parte porque a reunião cai apenas alguns dias antes da eleição presidencial dos Estados Unidos.

Os mercados precificam atualmente em menos de 10% de chance de alta das taxas na reunião de novembro, de acordo com a ferramenta Fed Rate Monitor do Investing.com. Para dezembro, as probabilidades situam-se em cerca de 65%.

2. Relatório de vendas do varejo dos EUA

O departamento de comércio irá publicar os dados sobre as vendas de setembro do varejo às 9h30 na sexta-feira. A previsão é que o relatório vai mostrar que as venda no varejo subiram 0,6% no mês passado, depois de cair 0,3% em agosto. O núcleo de vendas deverá subir 0,4%, após queda de 0,1% um mês antes.

A alta das vendas no varejo mostrarão um crescimento econômico mais forte, enquanto dados mais fracos sinalizariam uma economia em declínio. Os gastos do consumidor representam 70% do crescimento econômico dos EUA.

3. Fala dos diretores do Fed

Alguns diretores do Fed deverão fazer aparições públicas que poderão dar dicas de como eles estão divididos em relação ao aumento das taxas nos próximos meses.

Na segunda-feira, o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, falará sobre política monetária e a economia às 23h.

O presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, fará comentários às 11h de terça-feira.

Na quarta-feira às 9h, o presidente do Fed de Nova York, Bill Dudley, fala com o conselho de negócios do estado de Nova York. Enquanto isso o presidente do Fed de Kansas City, Esther George, fala em um simpósio do Federal Reserve Bank de Chicago às 10h40.

Na quinta-feira, o presidente do Fed de Filadélfia, Patrick Harke, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, farão aparições públicas.

Finalmente, a chair do Fed Janet Yellen está programada para falar sobre “estudos macroeconômicos após a crise” na conferência anual do Federal Reserve Bank de Boston às 14h.

4. Início da temporada de balanços dos EUA

Os analistas esperam que o lucro do terceiro trimestre mostrará um declínio de 0,7% ante um ano atrás, enquanto as receitas deverão ter aumentado 2,5%, o que seria o primeiro aumento das vendas na comparação anual das empresas do S&P 500 desde o final de 2014.

A temporada de resultados começa de forma não oficial na terça-feira com os resultados trimestrais da Alcoa. O clímax será na sexta-feira com resultados de grandes bancos como Citigroup, JPMorgan Chase e o Wells Fargo, que enfrentou dificuldades recentemente.

5. Dados de comércio de setembro da China

A China divulgará os dados de comércio de setembro por volta das 23h de quarta-feira. O relatório deverá mostrar que superávit do país aumentou para US$ 53 bilhões no mês passado, alta em relação aos US$ 52 bilhões em agosto.

A previsão para as exportações é de contração de 3,0% em setembro, na comparação com o ano anterior. Após um declínio de 2,8% há um mês, enquanto as importações deverão subir 1,0%, depois de um aumento de 1,5% em agosto.

Além disso, na sexta-feira, o país asiático irá publicar dados sobre a inflação de setembro de preços de ao produtor e ao consumidor. Os relatórios deverão mostrar que os preços ao consumidor subiram 1,6% no mês passado, enquanto os preços ao produtor deverão apresentar queda de 0,3%.

Flavio Moura

Consultor Financeiro