Benjamin Graham

Benjamin Graham trabalhava na Graham-Newman Corporation com Jerome Newman. Foi mestre, amigo e mentor do maior investidor do mundo, Warren Buffett. Graham lecionava na Universidade de Colúmbia, sendo um dos poucos acadêmicos a ensinar e, ao mesmo tempo, investir (teoria e prática).

Graham é creditado ser o pai da análise fundamentalista e o Decano do “Value Investing”. Buffet costumava dizer que seus métodos de investimento devem-se 75% Graham e 25% Fisher.

Perfil de Benjamin Graham

Benjamin Graham era um homem culto ao estilo clássico. Estudava latim e grego e traduzia poesias espanholas. Investia utilizando um método puramente quantitativo ao alcance de qualquer um, empregando informações de domínio público.

Benjamin Graham

Focava-se em comprar “barganhas”, companhias vendidas por menos que o seu capital de giro líquido. Desenvolveu uma forma muito interessante de “asset allocation”, uma divisão entre Ações e Renda Fixa que deveria ser seguida pelos investidores defensivos e ser preservada fixa (ex: 50% ações X 50% renda fixa, em todas ocasiões).

Graham, devido a Crise de 29 preocupava-se muito com o posicionamento psicológico do investidor tendo efetuado várias citações para exemplificar a sua visão. A mais conhecida delas é a do “Mr. Market”.

Resultados de Benjamin Graham

21% em 20 anos: “se alguém tivesse investido $10.000 em 1936, poderia ter retirado uma média de $2.100 por ano pelos próximos vinte e um anos e, ainda assim, teria recuperado seus $10.000 originais no final” – J.Train, Money Masters pág. 98.

Em 1948 a Graham-Newman colocou 1/4 de seu patrimônio na GEICO (o que equivalia, naquela época, a 50% da companhia). As ações foram distribuídas entre os acionistas da corporação. Diz-se que o retorno deste investimento dobrou o retorno do S&P 500 por vários anos.

Estratégias e Métodos de Benjamin Graham

Comprar uma nota de um dólar por cinquenta centavos:

  • Filtros quantitativos sem se preocupar com coisas como aspectos sociais, perspectivas futuras da companhia e produtos.
  • Diversificação. “Todos nós cometemos erros: a única forma de estar seguro é dividir suas apostas de maneira a permitir que as leis das médias possam funcionar”.

A Graham-Newman empregava sete técnicas para compras de ações desde 1936:

  1. Comprar ações à 2/3 ou menos do que o seu capital de giro líquido – normalmente mais de 100 de uma só vez;
  2. Comprar companhias que estejam sendo liquidadas;
  3. Arbitragem de risco;
  4. Títulos conversíveis ou arbitragens;
  5. A Compra do controle para forçar realização;
  6. Compras com Long e short (hedging). (somente até 1939);
  7. Graham era contra a aquisição de companhias públicas novas (IPO) e outras formas de investimentos exóticas como conversíveis e “warrants”.

De acordo com o “Guru”, existem seis coisas a serem observadas no processo de avaliação de uma ação:

  1. Os lucros estimados futuros;
  2. As perspectivas de crescimento de longo-prazo;
  3. A administração;
  4. A saúde financeira e estrutura de capital;
  5. O histórico de dividendos; e
  6. O Dividend Yeld.

Graham diz que há duas maneiras de ser um investidor inteligente:

  • Investidor “ativo” ou “empreendedor” = pesquisa, seleciona e monitora continuamente seu mix dinâmico de ações, obrigações ou fundos mútuos;
  • Investidor “passivo ” ou “defensivo” = estabelece uma carteira permanente que funciona em regime de piloto automático e não exige qualquer esforço.

Citações de Benjamin Graham

Benjamin Graham em si era uma máquina de citações. Vamos tentar descrever aqui apenas algumas mais relevantes:

Investimento” é aquele feito através de análise, e deve prometer segurança do principal e rendimento satisfatório. A ausência de qualquer um desses aspectos na análise seja da segurança do principal como do retorno, deve ser considerada como “especulação”.

 

O Senhor Mercado (Mr. Market) é muito solícito….., todo dia, dependendo de seus sonhos ou medos ele faz ofertas às nossas ações…. que podemos comprar ou vender apenas quando for de nosso interesse…. A maioria das vezes nós não damos atenção a ele, apenas a nossa própria avaliação e aos fatos….somente quando achamos que os preços estão absurdamente caros ou baratos é que prestamos atenção as suas ofertas…

 

A cada nova onda de otimismo ou pessimismo, nós estamos prontos para abandonar princípios testados historicamente e que resistiram ao tempo para mergulharmos fundo, e sem questionamentos, naquelas atitudes que irão justamente mais nos prejudicar.

 

No curto-prazo, o mercado é uma máquina de votação, mais no longo-prazo o mercado é uma balança.

 

A antiga lenda diz que os sábios conseguiram resumir as relações terrenas em uma única frase: ‘Isto também vai passar’. Se assumíssemos um desafio parecido de tentar descrever em uma única frase o segredo de um bom investimento nós arriscaríamos a máxima: MARGEM DE SEGURANÇA.

Bibliografia de Benjamin graham

Em 1934, escreveu, em parceria com o Professor David L. Dodd, o monumental “Security Analysis“. O Security era um livro muito técnico. Anos mais tarde, Grahan escreveu o “The intelligentInvestor” o livro que veio a se tornar a bíblia do “Value investing”. Grahan escreveu ainda um pequeno livro sobre análise de balanços.

CLIQUE AQUI e aprenda outros 3 conceitos de Graham.


Esperamos que tenha gostado do conteúdo! Cadastre-se na nossa Newsletters ao lado e fique por dentro de todas as dicas e sacadas para alavancar seus investimentos.


CLIQUE no link abaixo e compartilhe o conteúdo Financials nas redes sociais! Ajude outros investidores!